Discordar da Submissão da esposa é discordar do próprio Deus

Quando uma mulher afirma ser submissa ao seu marido, logo ela é repudiada por aqueles que servem ao deus da pós-modernidade. Entretanto, vamos seguir a seguinte linha de raciocínio:

A Bíblia é a Palavra de Deus. Paulo escreve dizendo que TODA a Escritura é inspirada por Deus (2 Timóteo 3.16). Pedro mantém o mesmo padrão de Paulo ao afirmar que "nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação", e continua dizendo que "a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo" (2 Pedro 1.20-21). Temos, então, a confirmação de que a Bíblia não foi "montada" ou "feita" porque homens levantaram em uma manhã de quarta-feira, por exemplo, e começaram a escrevê-la. Não foi um plano humano, mas divino.

Pois bem, tendo em mente que a Bíblia é a Palavra de Deus, vemos que o próprio Deus é o Autor dela em última instância.
O mesmo Paulo que afirmou que a Escritura é inspirada por Deus aconselha as mulheres, dizendo: "mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor;", e por que? Ele continua: "Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja" (Efésios 5.22-23). Olha que comparação Paulo está fazendo: a esposa é como a igreja e o marido deve ser como Cristo. Portanto, qual a vergonha ou o espanto quanto a submissão? A Igreja tem prazer em ser submissa ao Seu Noivo, que é Cristo. O Noivo não obriga, antes, muda de forma magnífica o coração da Sua Igreja, a fim de que ela aja em harmonia com Ele mesmo.

Além de Paulo, o mesmo Pedro que afirmou ser a Bíblia divina e dada por Deus, aconselha as esposas quanto ao seu papel dentro do casamento. Ele diz: "vós, mulheres, sede sujeitas aos vossos próprios maridos;" e, assim como Paulo, ele exemplifica o porquê é importante que a mulher esteja sujeita ao seu marido: "para que também, se alguns não obedecem à palavra, pelo porte de suas mulheres sejam ganhos sem palavra;" (1 Pedro 3.1). Olha só que outro exemplo maravilhoso. Pedro orienta que a esposa seja submissa ao marido não por obrigação, mas para que seu testemunho seja, de fato, um testemunho cristão. Em momento algum é dito para que as mulheres se sujeitem aos seus maridos de forma obrigatória, antes, as orienta para que isso seja feito a fim de influenciar quem não pratica a Palavra de Deus.

Afirmar que "os tempos são outros" é uma tolice. Ainda que passe mais 2.000 anos, os princípios do Senhor são perpétuos. Não é a Bíblia que se amolda a cultura pós-moderna, pois ela está muito acima dessa cultura. Não há feminismo capaz de alterar aquilo que foi feito por Deus.

Partindo do pressuposto de que a Bíblia é a Palavra de Deus, e que a Palavra de Deus ordena que as mulheres sejam submissas aos seus maridos, desobedecer a Palavra é desobedecer ao próprio Deus. É claro que se você crê que a Bíblia é 100% Palavra de Deus, conforme Paulo e Pedro definiram, você não terá problemas quanto a veracidade e importância disso. Entretanto, se você não liga para o que a Bíblia diz, e nem a têm como Palavra verdadeira de Deus, esse texto não tem valor para você. Mas saiba que, tendo valor para você ou não, a submissão continua sendo uma ordenança bíblica dada pelo próprio Deus. Seja contra ela e você estará se posicionado contra o próprio Deus.


 Convidado do Teologia e Mulheres  — Clinton Ramachotte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não deixe de comentar!
Sua opinião é muito importante para mim :D
Beijos...

Post Top Ad

My Instagram

Antes de sair gostaria de assinar nosso feed?

100% gratuito

atualizado

sem spam